Arquivo | muito amor RSS feed for this section

a ficha da mudança

6 maio

Você está mudando de casa, escolhe em conjunto um apto legal, que tenha um preço honesto.

Sai pra comprar beliche pra criança, colchão de casal, escolhe a dois a cor da parede da sala “cruzeiros noturnos”. Os dois tem ideia de uma parede lousa pra cozinha.

Daí vc acorda as 06:00 da manhã, toma banho, vai pro quarto e na hora de pegar o hidratante no armário tem um desodorante masculino bem ali ao lado dele, do seus perfumes e absorventes. E nesse momento você se toca “meldels, a partir da semana que vem seremos 3 morando debaixo do mesmo teto”.

Tô sentindo o #vráh do Nivea Man na minha cara até agora :p

Anúncios

+ um show do Metallica \m/

24 mar

As vezes as pessoas me perguntam pq eu não gasto com aparência, tratamentos estéticos, cabelo e até plástica. Primeiro que eu acho algumas coisas um exagero, que fogem a naturalidade e espontaneidade, é só ver o tanto de gente igual por aí. E segundo, pq eu prefiro investir em coisas que PRA MIM marcam a vida, a memoria e trazem momentos de plena felicidade.

Isso aconteceu em 2010 quando assisti ao show do Metallica pela primeira vez e agora em 2014.

Homem, roqueiro, pai de família, muso, sabe tocar na maior chuva rs

Homem, roqueiro, pai de família, muso, sabe tocar na maior chuva rs

Eu já tinha ficado encantada da primeira vez, pq é um show onde vc canta todas as músicas, os caras são super simpáticos e interagem com o público etc. Dessa vez teve tudo isso de novo, para a alegria de 65 mil pessoas que cantaram juntos todas as músicas debaixo da maior chuva, mas WHO CARES, qdo vc tem o Hetfield bem ali na sua frente? Esse ano o setlist foi todinho votado pelo público, o que gerou muita polêmica, já que obviamente os maiores hits foram escolhidos, deixando de fora aquelas músicas de 1900 e tralalá qdo o James cantava esganiçadamente (amo/sou essa época).  Mas gente, vamos deixar a patrulha de lado né pôxa, assistir Metallica de perto não é pra qq um e nem pra qq momento. Ouvi lá na hora do show alguns comentários de  ~ críticos ~ de música alimentados a toddynho e juro que preferia ouvir Load e Reload todinho a esse povo chato :p

antes, durante e depois (no final sem nenhuma dignidade visual, porém feliz)

antes, durante e depois (no final sem nenhuma dignidade visual, porém feliz)

Meu coraçãozinho peludo se enche de alegria a cada show que eu vou, como se fosse um combustível <3 e com esse não foi diferente, pelo contrário, apenas a certeza de que se eles vierem pra cá eu irei assisti-los sempre.

Top momento importante e legal —> escolhi Nothing Else Matters para um momento bem importante pelo qual vou passar em breve.

Top momento chato e desnecessário —> Galera novinha que acha super bacana fazer rodinha em TODAS as músicas inclusive Unforgiven, gente, cadê as mães dessas crianças? rs (sim estou uma senhoura)

cara de "na próxima estarei rikah graças ao pac mãe e irei de pista premium" :p

cara de “na próxima estarei rikah graças ao pac mãe e irei de pista premium” :p

pára-raios em dia de sol para mim

29 jan

Hoje você adormeceu no meu colo, aqui no sofá de casa. Já eram mais de 7 da noite, mas ainda estava sol. E você sempre dormindo super cedo (e acordando tbm rs). Minutos antes de dormir vc ficou me olhando com esses olhinhos esverdeados que eu não sei de quem você puxou, aí fez um carinho na minha bochecha e aos poucos foi adormecendo. O Sol batendo nos teus cabelos tão lisinhos e loirinhos. Eu fiquei te olhando, olhando… pensando como uma coisinha tão perfeita saiu de mim. Agradecendo por ter você pra me enlouquecer ainda mais e de um jeito tão gostoso. Tão puro. Em meio a tanta mudança, uma das minhas poucas certezas é ter você comigo. Sempre.

As sábias observações da minha irmã

24 maio

Ultimamente minha irmã tem sido muito perspicaz nas observações, comentários e palpites que dá. Acho que a convivência comigo tem ajudado nessa nossa sintonia… rs

Sobre minha altura:

Eu contando que fulano não é tão baixo e que de salto ficamos mais ou menos do mesmo tamanho. Digo que ele deve ter mais de 1,70 de altura. Kari já atropela a história: “Mew, quantos centímetros tinha o seu salto então, uns 20? Ou então você estava de perna de pau né, só pode ser”. Pausa para risada sem fim. Fui obrigada a concordar.

Sobre um elogio que fiz a uma pessoa aí…

Ai Kari, ele ta uma graça. E eis que ela me responde: “Se é quem estou pensando só pode ser 3 tipos de graça: desgraça, sem graça e nem de graça!”

Esperando no carro uma amiga pra almoçar:

Passou um grupinho de meninos de uns 14 / 15 anos. Eu comento: “Olha só Kari, tudo nerdizinho.” E ela responde: “Sim, depois vão crescer e virar o tipo de cara que você curte.” E pior que é verdade…

E finalizando:

Falo que estou meio deprimida porque ouvi uma música e tal, mando um trecho pra ela e tenho como resposta: “Quem mandou ouvir essa música sua loka, rs, que música mais depressiva, aposto que é Los Hermanos, rs”. E era mesmo, o Último Romance.

Só tenho que dizer que o período em que estamos morando juntas tem trazido muito mais leveza pra essa minha rotina ainda em adaptação. Uma irmã como a minha é ter tudo!

Companhia

18 mar

Essa semana saímos somente eu e meu amorzinho. Fomos tomar café da manhã na padaria. No caminho conversamos no carro sobre várias coisas e demos muita risada.

Chegando lá, dividimos um pão na chapa, comemos pãozinho de queijo e tomamos café com leite. Ele sempre toma toda a minha espuminha do leite, adora! Fomos embora. Ele me deu um abraço, um beijo selinho e entrou com o seu saquinho de pão de queijo na escola.

Filho é muito bom ter a sua companhia!

Sobre beleza

21 jan

Eu nunca fui assim, uma pessoa ligada em aparência, lembro de na infância e adolescência usar muita bermuda, camiseta e tênis. Acho que só fui me ligar um pouco mais nesses assuntos depois de velha. Mesmo assim, não sou “A” vaidosa. Batom por exemplo é uma coisa que eu não uso (não tenho nenhunzinho), seria eu uma ET? rs

Uma coisa que eu não gosto é quando as pessoas falam: “nossa, mas nem parece que você teve filho”. Como se isso fosse uma coisa legal. E até pode ser, do ponto de vista de que voltei ao corpo de antes. Mas é impossível dizer que sou a mesma. Fisicamente a chegada de um filho me trouxe ganho de peso (que perdi rapidamente), estrias na barriga, coisa que eu não tinha, olheiras porque há quase 3 anos não sei o que é acordar depois das 09:00 da manhã, não importa se eu vou dormir as 22:00 hs ou as 02:00 da madruga. Mas a mudança maior foi a de dentro. Sinto que sou muito melhor agora, não tenho mais medo de qualquer coisa. Enfrento melhor os meus dramas e olha que não são poucos já que eu sou dramática por natureza. Talvez eu não tenha mais receio de mostrar quem eu realmente sou e eu não tinha noção do quanto isso é bom. Arrisco dizer que se não tivesse passado por todo o processo de parto e agora a vivência da maternidade talvez eu ainda estivesse na mesma.

Ali no dia 10/03/2008 não nasceu somente o Marco, nasceu a Kristal, que deixou de ser filha para ser mãe, deixou de querer a aprovação dos outros para cuidar da própria vida e  das suas vontades. E a cada dia percebo algo de uma forma diferente, de um ângulo que eu não tinha visto. Talvez por isso eu não ligue para as minhas estrias, elas apareceram com mais de 40 semanas de gravidez e toda vez que olho para elas, lembro que esperei o tempo certo do meu filho, não antecipei nada. Jamais eu poderia imaginar como eu bateria o pé por tantas outras coisas…

Tempo que passa

8 set

Quando a a gente tem filho é que percebe como tempo passa sem dó nem piedade. Outro dia mesmo ele era um bebezinho e agora já está todo falante e questionador com os seus 2 anos e meio. E é tão legal ver ele crescer, descobrir o mundo, cada dia uma coisa nova. Sentir que estamos no caminho certo, sempre conversando, explicando, sem bater nem gritar. E ele entende, viu? O que eu mais quero é que ele saiba que sempre estarei ao seu lado e que poderá contar comigo para qualquer coisa.

Sexta passada, estávamos eu e Marco tomando um lanchinho de noite, conversando rindo… um desses momentos simples que a gente guarda para sempre no peito e pensa: “o que mais eu quero na vida? Felicidade é isso!”.